O BRINCADOR

«Quando for grande, não quero ser médico, engenheiro ou professor.

Não quero trabalhar de manhã à noite, seja no que for.

Quero brincar de manhã à noite, seja no que for.

Quando for grande, quero ser um brincador.

Ficam, portanto, a saber: não vou para a escola aprender a ser um médico, um engenheiro ou um professor.

Tenho mais em que pensar e muito mais que fazer.

Tenho tanto que brincar, como brinca um brincador, muito mais o que sonhar, como sonha um sonhador, e também que imaginar, como imagina um imaginador...

A mãe diz que não pode ser, que não é profissão de gente crescida. E depois acrescenta, a suspirar: “é assim a vida”. Custa tanto a acreditar. Pessoas que são capazes, que um dia também foram raparigas e rapazes, mas já não podem brincar.

A vida é assim? Não para mim. Quando for grande, quero ser brincador. Brincar e crescer, crescer e brincar, até a morte vir bater à minha porta. Depois também, sardanisca verde que continua a rabiar mesmo depois de morta. Na minha sepultura, vão escrever: “Aqui jaz um brincador. Era um homem simples e dedicado, muito dado, que se levantava cedo todas as manhãs para ir brincar com as palavras.»

Álvaro Magalhães

2 comentários:

  1. Adoro este texto, que descobri no blog da minha querida Luz e um dia tive no meu, também.
    Gostei destas "ferinhas":)

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga,tudo bem?Andei sumida porque meu pai estava hospializado, agora ele já está em casa, porém, não pode por o pé no chão, durante mais um mês, até a próxima avaliação...Vamos tocando o barco...Meu bloguinho está fazendo 2 anos , agora no dia 29 de junho...Tem um selinho que ganhei de presente para comemorar esses dois anos.Eu não estava com cabeça para fazer um e minha amiga Anninha do Leonardo, fez pra mim e me deu de presente. Passe por lá para pegá-lo, se vc tiver um tempinho. Está ao lado abaixo do mural dos seguidores.Obrigada pelo carinho. Fica com Deus! Mil beijocas. Paz e Luz!

    ResponderExcluir